Conheça os principais tipos de dores de cabeça

As dores de cabeça são um problema que afetam milhões de brasileiros, sendo assim uma reclamação muito comum nos consultórios médicos. Enquanto algumas pessoas sentem dor só de vez em quando, também existem outras que sofrem com esse mal diariamente, pois são diversas as causas e os fatores responsáveis pelas dores de cabeça.

Entre os tipos mais comuns e que afetam a grande maioria da população, estão a sinusite, as cefaleias tensionais e cervicogênica, a enxaqueca e a dor da DTM (Distúrbio Temporo Mandibular). A seguir, descubra mais sobre cada uma delas e identifique em qual tipo a sua dor de cabeça se encaixa.

 Sinusite

Assim como pode ser visto aqui, a sinusite é uma inflamação muito comum que ocorre no rosto. Ela pode aparecer após um quadro de infecção, alergias ou qualquer tipo de problema que prejudique a drenagem da secreção nasal. Em relação a intensidade, a sinusite pode ser aguda, que é quando os sintomas se manifestam por até 12 semanas, ou pode ser crônica, que é quando os sintomas persistem por um período maior.

 Cefaleia cervicogênica

São os casos em que as dores começam na região do pescoço e podem se espalhar por toda a cabeça. A causa dessas dores podem ser resultado de problemas nas articulações da coluna, como por exemplo uma má postura, ou ainda relacionados a ansiedade e estresse.

 Cefaleia tensional

São as dores ou sensação de pressão que aparecem nos dois lados da cabeça. São resultado de dores e tensões nas áreas do pescoço e dos ombros. A ansiedade também pode ser uma das causas da cefaleia tensional.

 Enxaqueca

Mais comum de afetar as mulheres, a enxaqueca é considerada uma doença crônica que causa desequilíbrios bioquímicos no cérebro e nos hormônios neurotransmissores, que entre outras funções, são responsáveis pelo humor e pelo comportamento). Como ela é provocada por um desequilíbrio bioquímico, alguns hábitos como alimentação ruim, falta de sono e sedentarismo podem aumentar as chances de um paciente desenvolver esse quadro. Em relação a intensidade da dor, ela pode ser leve ou intensa, e pode vir em conjunto com outros sintomas como enjoos e hipersensibilidades.

 DTM (Distúrbio Temporo Mandibular)

O Distúrbio Temporo Mandibular é uma disfunção que ocorre na musculatura da mastigação ou na articulação temporomandibular (ATM). Os médicos especialistas no assunto não conseguiram descobrir o que realmente causa esse distúrbio, contudo, já se sabe que existem determinados hábitos que podem aumentar os riscos de desenvolver a doença, como por exemplo, roer as unhas, mastigar chiclete com muita frequência, sofrer algum tipo de trauma na região, ter alguém na família que já sofreu com o problema e também o estresse em níveis elevados.

 

 

As deformidades mais comuns na coluna, reportadas por Sergio Cortes

Ainda que para a surpresa de alguns mais leigos no assunto, é de fato bem raro que ocorram, num único plano, as deformidades da coluna vertebral com as quais muitos de nós sofrem, a exemplo da cifose, da escoliose e da lordose, que são as mais comuns destas. E como reporta o ortopedista Sergio Cortes, elas são costumeiramente definidas como deformidades de torção tridimensional, e não só da coluna vertebral, mas também do tronco, podendo ocorrer tanto isoladas quanto associadas.

Para quem não sabe, recorda Sergio Cortes o fato de serem essas essas três principais deformidades não apenas facilmente explicáveis, como também consideravelmente comuns, a depender, é claro, da gravidade do caso, mesmo porque nenhuma coluna é “perfeita”. Reporta ele, por exemplo, que pode ser resumida a escoliose como uma curvatura anormal, no plano coronal da coluna vertebral, ou seja, uma curvatura lateral inadequada da mesma. Sendo assim, considerando-se também que abaixo de 10º é tida apenas como “variação postural”, a escoliose situada entre 10º e 20º é, por sua vez, ainda tida como “leve”. Já sobre a cifose, o especialista noticia que é comum resumi-la como uma curvatura excessiva na parte superior da coluna, melhor dizendo, no plano sagital (A-P). Em casos como esse, a curvatura na parte superior das costas está acima da faixa em que é considerada normal, no caso, entre 20º a 45º.

Já sobre a lordose, também chamada de hiperlordose e comumente gerada por má postura, Sergio Cortes recorda a definição que lhe é dada como sendo um encurvamento excessivo, dessa vez, da parte inferior da coluna vertebral, estando não poucas vezes associada também com uma cifose ou uma escoliose. Mais ainda, sobre a curvatura anormal da coluna, recorda que pode vir como resultado de alguma doença da coluna vertebral, seja por um desequilíbrio do seu sistema neuromuscular, seja por um trauma sofrido. Além disso, também há possibilidade de que seja congênita, ou seja, herdada dos antepassados, quando não é o resultado de se ter pernas com comprimentos diferentes. Sendo que, vale salientar, desvios do tipo costumam ocorrer com 60% dos homens quando ainda meninos e em 90% das mulheres quando adolescentes.

Mais especificamente sobre a escoliose, Sergio Cortes reporta que há a escoliose idiopática do adolescente (EIA), também conhecida vulgarmente por “escoliose do adolescente”. Esses casos ocorrem com uma média de 2% a 3% da população mundial, no período que vai dos dez anos de idade até a maturidade sexual, assim tornando-se evidente já no início da puberdade ou apenas no momento de maior crescimento do adolescente. No entanto, retirando-se os casos da escoliose do tipo infantil, em que ocorrem mais as curvas do lado esquerdo, é então muito mais frequente a escoliose torácica direita, melhor dizendo, quando está para o lado direito a convexa coluna torácica.

Por fim, Sergio Cortes ainda noticia que a doença da coluna, quando em seu estado “leve”, costuma ser até mesmo indolor. Porém, à medida em que crescendo, seja qual for a deformidade, a tendência é que realmente comece o vitimado a ter dores na coluna.

Assim, para que se resolva tratar alguma dessas, não se deve considerar apenas o tipo específico de doença, mas também da sua severidade, bem como o prognóstico, além de ser necessário que o paciente tenha condições de sofrer várias intervenções. Pontuando ainda que, ao se falar de diagnóstico e de intervenção, quanto mais cedo forem feitos, se necessários forem, é claro, melhor será para o paciente. Assim, pode-se até dividir a administração em três partes, sendo elas a observação, seguida da órtese e da operação.

Febre amarela: cresce número de casos no Brasil, saiba mais sobre a doença

Os números dos casos de febre amarela no Brasil começam a ser alarmantes. Um novo boletim divulgado nesta terça-feira (13) pelo Ministério da Saúde com dados atualizados aponta para 234 casos, com 79 mortes. O Estado mais afetado é Minas Gerais, com 69 casos. O segundo estado com mais registros é o Espírito Santo. São Paulo, Bahia e Tocantins investigam casos.

 

O que é a febre amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa febril, que pode causar a morte do indivíduo em uma semana, caso não seja tratada de forma imediatamente.

No Brasil, os casos de febre amarela (FA) têm duas classificações: FA urbana e FA silvestre. Apesar da classificação, o vírus é o mesmo, assim como a doença, a diferença é o mosquito vetor que as transmite.

Na FA silvestre há dois mosquitos transmissores: dos gêneros Sabethes e Haemagogus, tendo como principais hospedeiros o macaco. Já a FA urbana é transmitida pelo Aedes aegypti, mas não se registra um caso no país desde 1942.

Qualquer pessoa, independente de sexo ou idade, em área de risco – que more ou visite as áreas onde há a transmissão-, pode ter Febre Amarela, caso não tenha sido vacinada. É importante salientar que não se trata de uma doença contagiosa, ela é transmitida apenas pela picada do mosquito infectado com o vírus.

 

Sintomas de febre amarela

Veja alguns dos sintomas da febre amarela:

  • Febre
  • Calafrios
  • Dor de cabeça
  • Dores em todo o corpo
  • Náuseas e vômito
  • Fadiga
  • Fraqueza

Em casos mais graves:

  • Febre muito alta
  • Icterícia (pele e branco dos olhos amarelados)
  • Hemorragia
  • Insuficiência de múltiplos órgãos

Estima-se que de 20 a 50% de quem tem a doença grave, morre.

Sobre a manifestação da doença: de 3 a 6 dias após a picada do mosquito – sendo que esse período pode se estender até 15 dias. Algumas pessoas apresentam melhora por um breve período, que pode durar horas ou até um dia, e após esse período, a doença se apresenta em sua forma mais grave.

Quando a doença é curada, a pessoa fica imunizada, ou seja, só se tem febre amarela uma vez na vida.

Como evitar a febre amarela

Caso alguns dos sintomas sejam identificados, um médico deve ser procurado imediatamente. A pessoa deve buscar a unidade de saúde mais próxima e informar se esteve em áreas de risco ou se fez alguma viagem para locais afetados nos 15 dias antes do surgimento dos sintomas. Há que informar também se já tomou a vacina ou não.

Para o tratamento da doença, não há nada específico, o médico vai tratar os sintomas com antitérmicos e analgésicos. Se deve ter cuidado com os salicilatos (AAS e Aspirina), pois eles podem causar o aparecimento de manifestações hemorrágicas.

A doença pode ser evitada por meio da vacinação. A vacina está disponível para a população durante o ano todo. Há que se informar sobre as indicações para a vacinação.

 

Prisão de ventre: o que fazer para melhorar

Popularmente conhecida como “intestino preso” ou prisão de ventre, a Constipação intestinal, é um distúrbio corriqueiro que tem como característica principal a dificuldade de defecar. É necessário ressaltar que não há uma classificação para a assiduidade do funcionamento do intestino, que normalmente varia de três a doze vezes por semana.

É considerado um quadro característico de constipação quando acontecem ao menos duas evacuações na semana onde o esforço para conseguir evacuar é muito grande e com pouca produtividade.

Algumas pessoas relatam que não conseguem defecar em ambientes estranhos, ou quando não estão na rotina ou estressadas. Estas situações não duram muito tempo, logo que o individuo retorna as suas atividades normais a constipação desaparece. Normalmente a constipação costuma ocorrer muito com mulheres, e em fases como a gravidez, nos idosos e em crianças.

As principais causas de prisão de ventre costumam ser: uma dieta que contenha poucas fibras, pouca ingestão de líquidos e frutas, sedentarismo, e a ingestão de proteína animal e de alimentos com muita gordura, ou extremamente industrializados. Outra situação que acontece muitas vezes que também acomete o funcionamento dos intestinos é não evacuar no momento em que a vontade vem.

O “intestino preso” ainda esta relacionados a doenças que acometem o cólon e o reto, como hemorroidas, fissuras anais, câncer colorretal. E também pode ser gerada pelo uso de certos remédios e por alterações do mesmo no organismo e no metabolismo.

Algumas alterações mentais também podem causar a prisão de ventre, como o estresse, a depressão e a ansiedade.

Os principais sintomas do “intestino preso” variam de acordo com a pessoa, ou dependendo do grau da crise. Mas os que normalmente aparecem são: Número muito menor de evacuações do que o normal, dificuldade para defecar, já que as mesmas estão muito ressecadas e duras, sensação de intestino cheio, desconforto, inchaço abdominal, mal-estar, gases e distúrbios digestivos.

Levantar o histórico do paciente e fazer exames é necessário para o diagnóstico. Exames laboratoriais como o hemograma e de imagem, para detectar sangue nas fezes, e a colonoscopia são de extrema importância para conhecer os motivos do distúrbio e para fazer o diagnóstico correto.

É necessário advertir que a prisão de ventre é um sintoma e não uma doença, fazer um tratamento é necessário apenas para corrigir as causas deste distúrbio. A grande maioria das pessoas ao mudar os hábitos do dia a dia como uma maior ingestão de fibras, de alimentos que contenham propriedade laxativas, frutas, algumas vezes suplementos com fibra, já sentem uma grande melhora e se beneficia acabando com a prisão de ventre e impedindo novas crises. Mudanças como a ingestão de liquido, a pratica de exercícios e em alguns casos pode ser necessário o uso de supositórios e de lavagens intestinais para ajudar na defecação, mas é necessário alertar que sempre com orientação médica, seguindo a risco o que é indicado.

As principais recomendações para estes casos é ir ao banheiro sempre que tiver vontade, diminuir a quantidade de álcool, pois desidrata as fezes, tentar controlar o estresse e a ansiedade, e ao notar qualquer mudança nas fezes procure por um médico.

 

Alexandre Gama retorna a Neogama e retira do escopo da BBH

O publicitário Alexandre Gama retorna, após três anos e meio no cargo de diretor criativo global da agência de propaganda mundial BBH, para a empresa de publicidade Neogama, da qual é fundador. Essa transição, a qual merece ser ressaltada que foi voluntária, é mais uma mudança na carreira do executivo, que após o último trabalho decidiu pelo retorno em favor de sua capacidade criativa. Além dessa nova conformação, outra novidade no mercado nacional é a retirada de sua empresa do escopo da BBH, mudança que ocorreu em favor da rentabilidade do negócio.

A trajetória da BBH com a agência Neogama e Alexandre Gama é anterior ao cargo que esse exerceu nos últimos anos. Antes da compra de ambas as empresas pela holding francesa Publicis Groupe, um conglomerado que reúne diferentes subsidiárias e negócios de mídia, uma parte das ações da Neogama pertencia à BBH. Também uma rede de agências de publicidade mundial, essa de origem inglesa, a BBH era uma das sócias minoritárias, embora o faturamento da Neogama representasse quase 30% de sua receita. Esse é um fato que demonstra a importância que a agência nacional alcançou no cenário publicitário do Brasil e do mundo.

A compra realizada pela holding francesa ocorreu acompanhado de um momento de transição na diretoria da BBH: dois de seus três sócios fundadores deixaram funções executivas na empresa. Foi para o preenchimento dessa lacuna, de modo que o processo criativo da empresa mantivesse suas características, que Alexandre Gama assumiu o cargo no qual chefiava as criações da rede em todo o mundo. Contudo, segundo o próprio publicitário, as produções permaneceram sob o encargo de cada um dos seis escritórios da BBH espalhados pelo mundo, são eles Londres, Nova York, Cingapura, Xangai, Mumbai e Los Angeles. Após cumprir com todas as obrigações contratuais que assumiu, o publicitário optou por deixar o cargo na BBH e retornou para a Neogama.

De volta a empresa que ajudou a fundar, Alexandre a retirou da rede BBH e agora ambas atuam independentemente dentro do conglomerado da Publicis Groupe. O motivo dessa separação, de acordo com o próprio Alexandre Gama, deveu-se a uma questão de obtenção de clientes. Após a saída de parte dos fundadores da BBH, essa perdeu força no potencial criativo, o que a colocou em disputa com outras agências. Para a Neogama isso se refletiu na incapacidade de atração de clientes para a agência brasileira. Soma-se a isso o fato de que, sob o escopo da rede britânica, anúncios à outras empresas ficavam impedidos. Após negociações, tanto a BBH quanto a holding francesa concordaram com essa nova organização.

Em um cenário de crise, no qual até mesmo a Neogama perdeu clientes com quem possuía uma tradição, como a TIM, essa relativa liberdade conquistada por Alexandre Gama é um espaço para que agência consiga mais oportunidades no Brasil. O retorno do publicitário, que já possui um histórico no âmbito publicitário brasileiro, após alguns anos em um trabalho que ele mesmo definiu como mais burocrática do que criativa merece ser acompanhado.

Infarto: Saiba como agir ao se deparar diante de um

O Infarto do miocárdio nada mais é do que a necrose de parte do músculo cardíaco por conta da ausência de sangue novo que acaba por levar nutrientes e oxigênio para o coração. Esta situação é recorrente de uma série de acontecimentos acumulados durante muitos anos, e que dependendo a situação se caracterizado pelo fechamento das artérias em decorrência de um processo inflamatório que tem ligação a adesão de placas de colesterol nas paredes.

Caso uma destas placas caia ou haja coágulos no sangue, podem acarretar o bloqueio do fluxo sanguíneo que acaba por causar danos graves e irrecuperáveis ao coração.

Os sintomas mais comuns são: dor fixa no peito, o nível de dor varia de individuo par individuo, e dura entorno de trinta minutos e se irradia pela mandíbula e ombros, sensação de azia, suor, náusea, vômito, tontura e desfalecimento, ansiedade, agitação e em muitos casos sensação de morte.

Os principais fatores de risco são o uso excessivo de fumo, obesidade, diabetes, hipertensão, níveis altos de colesterol, estresse, sedentarismo e é necessário se analisar também o histórico de doenças cardíacas na família.

Ao se recuperar do infarto é necessárias mudanças de habito, é comprovado que pessoas que sofreram um infarto e mudaram seus hábitos alimentares e iniciaram a pratica de exercícios físicos, conseguiram retomar sua vida normal e maneira melhor.

As principais recomendações se baseiam em acompanhamento médico, logo ao sentir os primeiros sintomas do infarto, é necessário procurar um pronto socorro, evitar dirigir ou carregar objetos mesmo que não haja muita dor. É necessário manter a pessoa aquecida e calma, e não lhe de nada para beber e comer siga apenas as recomendações médicas. Caso a pessoa esteja conseguindo engolir normalmente e não seja alérgica ao medicamento, induza a pessoa a tomar dois comprimidos de ácido acetilsalicílico (aspirina) prontamente. Caso a pessoa venha a desfalecer, certifique-se de que a respiração e o pulso estejam normais.

No caso da pessoa não ter estes sinais vitais, é necessário realizar os procedimentos para recuperação cardiopulmonar, até que o socorro chegue. Transportar a pessoa desfalecida para um hospital ou outro lugar é um erro comum cometido por muitas pessoas, pois ela pode falecer no caminho. O essencial é posicionar a pessoa de maneira confortável, inclina-la um pouco e afrouxar as vestes para que nada prenda a circulação, ou piore seu estado.

Muitas pessoas confundem a aparência de sintomas como a azia intensa, na grande maioria das vezes eles indicam alterações cardíacas de extrema relevância. É essencial na grande maioria dos casos passar confiança para o infartado, e que a alguém próximo realize os primeiros socorros, pois fazem toda a diferença na hora de uma salvar vida.

 

 

Hipertensão: Entenda detalhes da doença que afeta milhões de brasileiros

Hipertensão é uma doença que alcança grande parte da população brasileira, e que atinge pessoas de todas as faixas etárias. A hipertensão é mais conhecida como pressão alta, e está diretamente ligada com o grande volume de sangue que vai de encontro com as paredes dos vasos para a circulação do sangue fluir. Esta situação das artérias faz com que o coração tenha de bater com uma força maior para conduzir o sangue, e como consequência a hipertensão faz com que o coração fique dilatado e as artérias fiquem danificadas.

Os números da pressão arterial podem variar ao longo do dia, e geralmente diminui durante o sono e durante os momentos de relaxamento, e com a execução de atividades físicas, ou estresse tende a subir.

A pessoa hipertensa é aquela que a pressão em repouso apresenta números iguais ou acima de quatorze por nove. As pessoas que possuem hipertensão tendem a apresentar problemas vasculares, cerebrais e cardíacos.

Os sintomas desta doença só aparecem quando a doença já está desenvolvida, ou em momentos que a pressão arterial aumenta de maneira repentina. É uma doença traiçoeira que faz muitos pensarem que estão bem durante um longo tempo, e só percebem o problema quando já está grave. Mas quando o individuo apresenta sintomas, os principais são: dor de cabeça, tontura, dores no peito, que representam um alerta para que a pessoa procure um médico.

O tratamento que será utilizado depende do tipo de hipertensão que a pessoa possui, se é um aumento de pressão tênue, com a mínima da pressão arterial entre 9 e 10, é possível se tentar um tratamento com mudanças de habito, como uma alimentação saudável, a pratica de exercícios, diminuição do sal na ingestão de alimentos, e controle do peso, já que existe uma relação entre os dois.

Mas caso o individuo já tenha níveis mais elevados de pressão arterial é necessária a ingestão de remédios, para que os vasos sanguíneos fiquem relaxados e não contraídos. Todos os remédios para combater a hipertensão são vasodilatadores, e fazem o individuo perder sal e água, e a aumentar os vasos. Entretanto os remédios mais modernos pelos avanços das pesquisas tendem a ter efeitos colaterais menores.

As recomendações básicas são: tomar o remédio de maneira regular, e mudanças nos hábitos do dia-a-dia, como as citadas acima, são essências para uma eficácia do tratamento. Utilize o sal com moderação, não é necessário retira-lo da alimentação, apenas ingerir de maneira regulada e consciente, evitar a ingestão de comidas processadas, pois tem salitre em excesso. Uma dieta baseada em frutas, legumes, cereais integrais e outros com pouca gordura, pois estará ingerindo mais nutrientes que auxiliam na queda da pressão. O estresse aumenta a pressão arterial, por isso é necessário controla-lo e atividades físicas, além de diminuir o estresse, contribuem com a perda de peso, fator muitas vezes essencial para a melhora da pressão.

É necessário seguir a risca o tratamento indicado por seu médico, e controlar a pressão, medindo-a sempre que possível e anotar para depois repassar os valores para seu médico analisar como anda o tratamento.

Hipertensão é uma doença permanente que não se resolve em um curto período de tempo, que requer cuidados, e que com o uso de medicações e seguindo as recomendações é possível a manter equilibrada.

 

O Empreendedor Roberto Santiago Investe em Lazer e Entretenimento para João Pessoa

Trazer lazer e diversão de qualidade para os moradores e turistas da cidade de João Pessoa é uma das prioridades para o empresário e investidor Roberto Santiago.

Roberto Santiago é o proprietário de dois grandes empreendimentos comerciais, o Manaíra Shopping, aberto em 1989, e o Mangabeira Shopping, inaugurado em 2014. Os empreendimentos se destacam também pelo espaço dedicado ao lazer, artes, cultura e entretenimento.

O Manaíra Shopping possui um espaço de alimentação exclusivo para o cinema que oferece bebidas e pipocas gourmet para quem optar por assistir à um filme em uma das onze salas de cinema no padrão Stadium, projeto que organiza as poltronas em filas elevadas e com equipamentos de última geração. O cliente pode optar ainda entre assistir ao filme em uma sala tradicional, VIP ou Macro XE, que oferece uma experiência ao vivo de imersão em 2D e 3D.

O Administrador de Empresas Roberto Santiago foi o responsável por unir ainda mais o conceito do Manaíra Shopping com o de entretenimento, quando apostou em inaugurar uma casa noturna dentro do Manaíra. A Domus Hall é um espaço para eventos, shows, espetáculos e festas particulares que acomoda em seus dois andares mais de seis mil pessoas. A casa é conhecida por trazer atrações nacionais e internacionais para João Pessoa.

A estrutura do Manaíra Shopping possui ainda uma Academia de Fitness e Musculação, o Game Station, parque de diversões indoor com 1800 m² e mais de 200 opções de máquinas e jogos para todas as idades, Espaço Gourmet e o Boliche Gold Strike, com Lounge anexo, o que torna o local perfeito para Happy Hours e encontros com amigos.

Na construção do Mangabeira Shopping, o empresário Roberto Santiago optou por incluir ainda mais opções de entretenimento, tornando o projeto ainda mais arrojado e contemporâneo.

Além das salas de cinema disponíveis no Manaíra, o Mangabeira Shopping conta com a exclusiva sala 4DX da empresa Cinépolis, que descreve em seu site a experiência: “As poltronas têm sistema eletrônico de movimentos, que permite simular quedas, trepidação e vibrações, além de aceleração e frenagem. Junto a isso, a sala possui instalações especiais nas paredes e poltronas, que geram até 20 efeitos de luzes, água, vento, aromas e névoa”.

O Mangabeira Shopping também possui o boliche Gold Strike, Academia de Fitness e Musculação, Game Station, Espaço Infantil com buffet e salão de festas e até um espaço dedicado ao Kart Indoor onde crianças e adultos podem se divertir.

Os empreendimentos de Roberto Santiago ultrapassam o conceito de Shopping, trazendo aos frequentadores uma experiência muito maior do que a oferecida pelos centros comerciais tradicionais. O consumidor pode, em um mesmo local, se exercitar, encontrar com amigos, ir à um bar ou restaurante conceituado, jogar boliche e jogos eletrônicos e ainda frequentar shows e festas durante a madrugada.

A construção e constante busca pela inovação destes empreendimentos, não só representaram um avanço considerável na área de lazer e entretenimento para a cidade de João Pessoa, como também criaram milhares de vagas de emprego e movimentam constantemente a economia local.

 

 

Entenda melhor o Zika vírus

O Zika vírus, que desde meados de 2015 tem assustando inúmeras pessoas, é um Arbovirus, capaz de transmitir-se aos seres humanos através de insetos, onde ocorre seu processo de réplica. Este vírus pertence aos Flaviviridae, da mesma família do vírus da febre amarela e da dengue.

Não se tem certeza de como o Zika vírus veio para o Brasil. Existem dados que comprovam que o Zika vírus só foi notificado no ano de 2015 no nosso país, por pesquisadores da Bahia. Em meses o vírus havia se difundido por inúmeros estados, levado pelo Aedes aegipty, o mesmo mosquito da chikungunya, dengue e febre amarela.

No inicio o zika não preocupou muitas pessoas, pois parecia um vírus que causava doenças benignas, entretanto no Brasil, os casos que veem surgindo vem mostrando o oposto,já que inúmeras mortes foram registradas e em inúmeros casos o vírus causou microcefalia em gestantes e a síndrome de Guillain-Barré.

De acordo com pesquisas, existem dois tipos destes vírus: o tipo africano, que infecta na maioria das vezes macacos e mosquitos, e o asiático, que infecta os seres humanos.

Não se tem total noção de como o vírus age no organismo humano, mas segundo os dados que se tem ele afeta o sistema imune tem tendência a atacar as celular do sistema nervoso central. Segundo estudos a doença não é contagiosa, mas quando contraída existem implicações graves.

O ZIKA é transmitido para uma pessoa saudável através da picada do Aedes aegipty. Até o momento o vírus já foi encontrado no sangue, no leite materno, no sêmen, no xixi e na saliva de infectados e estão investigando a transmissão por transfusão de sangue e sexo.

Na maioria dos casos os sintomas não aparecem de inicio, e quando aparecem são dias depois da picada inicial, e são parecidos com os da dengue, mas por serem mais fracos, muitas vezes são confundidos com viroses. Como desaparecem de maneira rápida, as pessoas não acham que é greve e não procuram um médico.

Os principais sintomas são: febre, dor de cabeça. Dor no corpo e nas articulações, erupção na cútis, que podem se espalhar para outras partes do corpo, conjuntivite, diarreia, náusea e extremo cansaço.

O diagnostico é na maioria das vezes clinico, mas há exames específicos onde detectam anticorpos ou resquícios do vírus no sangue.

Embora os sintomas muitas vezes passem despercebidos pelos pacientes, os casos de microcefalia têm aumentado, confirmando que gestantes foram infectadas nos primeiros meses de gravidez. Ele provoca uma mutação no sistema de imunidade o que permite alcançar o feto, não permitindo que o cérebro se desenvolva da maneira certa.

Não há vacina especifica contra o Zika, até o momento a única forma de prevenção é impedir que o mosquito se prolifere em água parada. Os mesmos cuidados que se tem para impedir a proliferação do mosquito em doenças como a dengue e a febre amarela.

O tratamento se resume ao uso de analgésicos, anti-inflamatórios e antialérgicos, como em outras viroses, pois não há um tratamento específico. O essencial durante a infecção é repousar, hidratar-se, alimentar-se de maneira saudável, e seguir as recomendações médicas. E logo ao sentir os primeiros sintomas é necessário procurar um médico, para que evite que a doença se alastre. E como em outras doenças da mesma família, como a dengue, existem remédios que são contraindicados, que podem até mesmo aumentar os sintomas, por isso em momento nenhum pode haver a automedicação.

 

Febre amarela: velho medo volta a preocupar o país

O ministério da Saúde registra os passos da febre amarela em território brasileiro desde 1980. Já avolumam-se 36 anos de dados epidemiológicos, como localização de possíveis criadouros, espécies de mosquitos transmissores, subtipos do vírus, animais que podem ser reservatórios naturais da doença, entre outros. E, em todos esses anos de rastreio epidemiológico, 2016 e 2017 estão apresentando o pior surto já registrado da doença no país.

Já foram confirmadas pelo governo 88 casos da doença, com 43 mortes por conta dela – caracterizando uma mortalidade de cerca de 49% dentre os casos confirmados. Dos casos relatados e confirmados, Minas Gerais abarca a imensa maioria: são 84 casos e 40 mortes dentro dos limites do estado. A situação se agravou a tal ponto que o governo do estado decretou situação de emergência em mais de 150 cidades. O caos, no entanto, parece estar se espalhando: novos casos foram registrados nos estados de Goiás e Mato Grosso do Sul, que ainda não haviam apresentado a doença esse ano. Para efeito comparativo, o último pico no país havia sido registrado no ano 2000, com 85 casos confirmados.

Além dos casos confirmados, houve também explosão no número de casos em análise: no estado de Minas Gerais eles contabilizam quase 400, enquanto no estado do Espírito Santo, que até o começo de 2017 nunca havia registrado um caso sequer, as suspeitas já chegam a 32.

A situação, claro, causou temor e tremor de norte a sul do país. A busca pela vacinação contra a febre amarela disparou, chegando a apresentar uma taxa de inoculação 10 vezes maior do que o normal para o período do ano em questão em alguns pontos de Minas Gerais, por exemplo. No Rio de Janeiro as requisições de vacinação chegaram a 17 mil em janeiro, contra menos de cinco mil de média mensal, e zeraram os estoques de doses de vacina – agora, eles só vacinam quem apresentar comprovante de viagem recente a Minas Gerais. Mesmo nas clínicas particulares, que cobram cerca de R$ 200 por dose, acabaram-se os estoques.

O Ministério da Saúde não está parado: foram reforçadas as políticas contra a doença em todas as áreas afetadas, que vão desde o aumento maciço da vacinação até a busca e eliminação de todas as áreas, potenciais ou efetivas, de criadouro do mosquito. Além disso, buscas ativas vêm sendo feitas nos mosquitos em áreas com casos da doença, para verificar se eles estão contaminados. Além disso, o Ministério da Saúde estuda a possibilidade de vacinar todas as crianças do país contra doença, assim que o surto se encerrar. Dessa maneira, prevenindo-se, podemos evitar mais um surto e, com isso, mais mortes pela doença.