Autoridades americanas registram casos de overdose por droga não identificada

Um novo tipo de droga tem preocupado as autoridades americanas. Pelo menos doze pessoas foram hospitalizadas durante 48 horas em hospitais do centro e do sul da Geórgia, Estados Unidos, depois de consumir uma droga de rua não identificada. De acordo com autoridades estaduais e hospitalares, quatro mortes foram associadas a overdose pela droga, mas as autoridades ainda esperam resultados de autópsia para determinar a causa exata da morte.

Algumas semanas antes, mais seis overdoses foram ligadas a mesma droga, cujo conteúdo está sendo analisados pelo Georgia Bureau of Investigation, de acordo com um comunicado do Departamento de Saúde Pública da Geórgia.

“O que é incomum é ver tantos casos de overdose em tão curto período de tempo”, disse o Dr. Christopher Hendry, diretor médico da Navicent Health, um dos três hospitais na Geórgia que se deparou com os casos de overdose pela droga não identificada.

Alguns pacientes descreveram tomar uma pílula amarela que achavam que era um tipo de analgésico adquirido com receita chamado Percocet, disse Hendry, mas os sintomas de overdose eram “muito mais severos do que seria no caso desse analgésico”.

O escritório do xerife do condado de Bibb, disse que a palavra “PERCOCET” foi marcada em letras maiúsculas em um lado das pílulas, enquanto que do outro lado, as pílulas tinham sido impressas com os números “10/325” – geralmente uma indicação de dosagem de medicação. Os pesquisadores perceberam que as impressões feitas nas pílulas falsificadas foram feitas “aleatoriamente” e não da maneira correta quanto as pílulas do fabricante original.

Hendry disse que suspeita de que a droga possa ser um composto de opioides muito mais poderosos, o que poderia ser difícil para os médicos reverterem. “Há um composto no Sul que recentemente surgiu que é 10.000 vezes mais poderoso do que a morfina, tornando as doses normais de Narcan totalmente eficazes”, disse Hendry sobre a medicação que normalmente é usada para reverter as overdoses de opioides.

Os pacientes, principalmente trafegados por ambulância, pareciam sonolentos, apresentavam dificuldade em falar e tinham dificuldade em respirar, disse Hendry. Esses sintomas levaram os médicos a suspeitar de overdose de opioides, mas os resultados de toxicologia ainda não foram realizados. Até então, Hendry disse: “este é um evento em evolução”.

Além da Navicent Health em Macon, na Geórgia, pacientes foram enviados para perto do Coliseum Health e Houston Healthcare.

Outras drogas de rua – como a mistura de opiáceos conhecida como “morte cinzenta” – recentemente foram associadas a overdoses na Geórgia e outras partes do Sul dos Estados Unidos. Houve cerca de 1.300 mortes por overdose na Geórgia em 2015, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.

O xerife David Davis, do condado de Bibb, disse que os pesquisadores seguiram as pistas, mas não há suspeitos até o momento.

 

A importância da construção da resiliência nas crianças

Resultado de imagem para resiliencia infantil

O trauma infantil pode ter consequências de saúde, sociais e comportamentais ao longo da vida. O Center for Disease Control and Prevetion (CDC – Centro de Controle e Prevenção de Doenças, dos Estados Unidos) mostra que diferentes formas de abuso, negligência e estressores domésticos relacionados são, infelizmente, comuns entre as crianças.

Essas experiências muitas vezes não ocorrem como eventos únicos, e o risco de desfechos a longo prazo piora à medida que o número de adversidades aumenta. Essas experiências também podem aumentar o risco de múltiplos problemas de saúde durante todo o período de vida e dificultar o desenvolvimento saudável do cérebro das crianças.

A prevenção dessas e outras experiências adversas da infância (ACEs) deve ser o principal objetivo da sociedade. No entanto, essas experiências continuam a ser generalizadas e muitas vezes não são resolvidas em sobreviventes adultos.

O trauma infantil pode afetar a saúde mental e física até a idade adulta

Chegou o momento de todos os sistemas envolvidos com o cuidado das crianças enfrentarem este problema de frente. Ao construir a resiliência das crianças no início de suas vidas, podemos prepará-las melhor para lidar com traumas passados e futuros, e crescer adultos saudáveis .

Apego saudável começa no início da vida

Para as crianças, construir resiliência significa desenvolver habilidades de aprendizado que podem aumentar sua capacidade de gerenciar e regular suas emoções e resposta ao estresse.

Uma maneira fundamental de construir resiliência é fortalecer as famílias. Isso pode incluir o ensino de cuidadores sobre o desenvolvimento da criança, fornecendo ajuda concreta em momentos difíceis, reforçando suas habilidades para gerenciar o estresse e desenvolver conexões sociais positivas.

Estas são apenas algumas das formas de proporcionar um ambiente seguro e de apoio onde as crianças possam desenvolver um forte vínculo com seus cuidadores. A pesquisa mostra que crianças saudáveis e seguramente presas são menos propensas a mostrar ansiedade de separação. Enquanto isso, as crianças inseguras tendem a evitar tudo e se esforçam para expressar sentimentos negativos.

Desenvolver a aderência saudável no início da vida ajuda as crianças a aprender a se auto-regular melhor. Essas crianças mostrarão a capacidade de expressar seus sentimentos abertamente e exibirão menos medo passando a evitar menos seus pais. Além disso, o estilo de apego dos adultos com seus próprios filhos é altamente influenciado pela qualidade do relacionamento que eles tiveram com seus cuidadores.

Ajudando as crianças a lidar com isso

A casa não é o único lugar onde crianças podem sofrer traumas. O trauma pode ser experimentado de múltiplas formas e contextos – desde problemas na escola até desastres naturais que atingem a comunidade.

Por exemplo, quando os professores observam uma criança com dificuldades comportamentais, eles devem estar preparados para responder de maneira calma e não-reativa. Os adultos devem estar conscientes de seus próprios estresses e gatilhos para evitar potencialmente retração das crianças que eles cuidam. As crianças precisam ser tranquilizadas, estar em um ambiente seguro, solidário e atencioso.

 

5 erros cometidos por quem faz dieta

 

Image result for ERROS DA DIETA

É normal ouvir alguém dizer que está fazendo dieta, mas não obtém sucesso na perda de peso. A maioria das pessoas cometem erros que resultam em números inesperados na balança. Afinal, como é possível fazer dieta e não emagrecer? Confira os 5 erros cometidos por quem deseja perder peso:

  1. Fazer dieta

Sim, por mais estranho que possa parecer, um dos maiores erros cometidos é fazer dieta. Isso se da pelo fato de que dieta é um plano alimentar provisório. O correto seria fazer uma reeducação alimentar, mudando os hábitos alimentares completamente.

  1. Dar mais atenção às calorias ao invés de aos ingredientes

É muito comum rejeitarmos alimentos devido a alta caloria que eles carregam. Levando-nos a muitas vezes ingerir algo de baixa caloria, porém, com poucos nutrientes e benefícios.

Veja bem, uma batata fervida, por exemplo, pode ter um valor calórico maior do que um determinado tipo de salgadinho. Porém, a batata tem o benefício da saciedade, enquanto o salgadinho além de possuir um grande índice de sódio, também carrega consigo gorduras e conservantes.

O mais adequado é conhecer o que se está ingerindo, seus benefícios e malefícios, e como o alimento se comportará dentro do organismo, ao invés de focar somente no tanto de calorias que estamos ingerindo.

  1. Mudanças radicais

Pesquisadores já comprovaram que o açúcar refinado se comporta como uma droga dentro do organismo. Além de viciar, o mesmo também causa dependência. Outro erro comum, é cortá-lo de uma só vez. Essa atitude radical causará um estado de abstinência, tornando a vontade pelo açúcar mais aguçada do que antes.

O que deve ser feito: mudar os hábitos alimentares aos poucos, substituindo alimentos processados e com muito açúcar por alimentos naturais. Um exemplo saudável para substituir o açúcar refinado, é o açúcar de coco.

  1. Não saber ler rótulos

As grandes industrias costumam lançar linhas de alimentos rotulados fitness, mesmo não sendo, e isso costuma atrapalhar muitos que procuram ficar em forma. Ao ler o rótulo, tenha em mente de que a sequência dos ingredientes sempre aparece na ordem em que o produto está em maior quantia na receita. Por exemplo, se açúcar é o primeiro que aparece, aquele produto contém mais açúcar do que os demais ingrediente citados, e assim por diante.

  1. Não se exercitar

Obviamente, a alimentação é o principal quando o assunto é perder peso. Porém, a forma de se alimentar é somente uma parte da equação. Os exercícios são importantes não apenas para queimar calorias, mas também, para a saúde do corpo e dos órgãos. Perder peso somente com uma alimentação saudável se tornará difícil depois de um tempo. Esse é um dos motivos de muitas pessoas perderem somente metade do que pretendiam perder.

 

O que é botulismo?

Imagem relacionada

Dois surtos isolados de botulismo no mês de maio nos Estados Unidos, chamaram a atenção dos especialista para essa doença potencialmente fatal, que geralmente atinge cerca de 150 pessoas por ano, principalmente bebês.

Em Sacramento, Califórnia, uma pessoa morreu e outras nove foram hospitalizadas depois de comerem nacho contaminado em uma loja de conveniencia em um posto de combustível, provavelmente contaminado por aquecimento e armazenamento inadequados.

Outra morte por botulismo ocorreu no próximo condado de Napa no início de maio, de acordo com a diretora de saúde pública do condado, Dra. Karen Relucio.

O que é botulismo?

O botulismo é uma toxina do nervo paralisante, considerada uma das substâncias mais potentes e letais do mundo. É produzido pela bactéria Clostridium botulinum e às vezes por estirpes de Clostridium butyricum e Clostridium baratii. As bactérias em forma de haste são comumente encontradas no solo e nos sedimentos de lagos, rios e oceanos. Elas prosperam em condições de baixo oxigênio, como alimentos enlatados, feridas profundas e trato intestinal, mas quando ameaçadas formam esporos protetores com um revestimento duro que permite que as bactérias sobrevivam por anos.

O perigo não é dos próprios esporos, mas o que elas produzem enquanto germinam. À medida que as bactérias C. botulinum crescem, elas criam oito tipos de neurotoxinas que são tão mortíferas, mesmo em quantidades microscópicas elas podem matar.

Esta mortal toxina nervosa também é a fonte de Botox, uma solução cosmética líder para rugas, bem como condições médicas, como enxaquecas e transpiração excessiva, conhecida como hiperidrose. Injetando quantidades altamente diluídas da toxina em um músculo, a toxina bloqueia os sinais nervosos que dizem que para o músculo se contrair. Isso enfraquece temporariamente o músculo, suavizando assim a rugosidade ou a dor que causa a contração.

Quais são os sintomas do botulismo?

Como a toxina do botulismo paralisa os músculos, os sinais iniciais e clássicos da doença são pálpebras inclinadas e visão turva ou dupla, boca seca, fala arrastada e dificuldade de deglutição. Se não for tratado, pode ocorrer uma maior paralisia dos músculos dos braços, pernas e tronco do corpo, afetando a capacidade de respirar.

Os bebês infectados com o botulismo apresentarão dificuldade para se alimentar e sinais de alergia, com um choro fraco e um tom muscular fraco. Eles também podem apresentar constipação.

Como o botulismo é tratado?

A menos que haja uma causa clara, como alimentos obviamente contaminados, os médicos primeiro descartarão outras doenças que podem imitar os sintomas do botulismo, como acidente vascular cerebral e doença de Lyme.

Uma vez que o botulismo é confirmado, pode ser tratado com antitoxina e, em alguns casos, com antibióticos. Se a antitoxina é administrada antes da paralisia estar completa, ela ajuda a encurtar a recuperação, o que requer o recrutamento das terminações nervosas do corpo. O paciente pode ser hospitalizado para ter um tratamento de suporte, como um ventilador, por semanas ou meses até a paralisia melhorar. Em alguns casos, a fraqueza muscular e a falta de ar podem durar anos.

O otimismo de Duda Melzer com a nova estratégia de comunicação do Grupo RBS

Diante de um cenário onde as mudanças ocorrem rapidamente, um conglomerado midiático, como o Grupo RBS, que é presidido por Duda Melzer, não poderia deixar de adaptar-se aos novos tempos. Por isso mesmo, a direção do Grupo resolveu iniciar uma nova fase, no começo deste ano, 2017, com uma estratégia de comunicação mais bem adaptadas às necessidades do nosso tempo.

E foi durante a Convenção de Vendas RBS, ocorrida durante toda a tarde do dia 10 de maio, uma quarta-feira, que o próprio Duda Melzer, diante do cenário positivo que se tinha na ocasião, que foi fruto dos primeiros resultados da nova estratégia, definiu então aquele mesmo momento como o símbolo da crença deles no futuro. Segundo o presidente e chairman do Grupo RBS, naquele instante, eles acreditavam que as marcas do Grupo teriam maior credibilidade do que antes; eles também consideravam que os seus comunicadores teriam com isso maior qualidade; e, por fim, mostrou-se otimista quanto ao relacionamento com o mercado ser cada vez mais próximo, dali em diante.

Por dentro do evento do Grupo de Duda Melzer

Durante a tarde do referido dia, na Convenção de Vendas RBS, foram apresentados os resultados positivos daquele que era o primeiro mês em que se teve uma atuação integrada entre os setores de Marketing e de Mercado do Grupo RBS. Além disso e de contar com a presença de Duda Melzer, também foram apresentadas quais eram as expectativas se tinha para o futuro do Grupo, além do Plano de Incentivo voltado para a equipe de vendas. A tarde foi tornada ainda mais descontraída com a presença de ninguém menos que o humorista Marcelo Adnet, atuando como mestre de cerimônias.

Sobre a nova estratégia de comunicação do Grupo RBS, vale pontuar ainda que ela está baseada naqueles que são os conceitos mais atuais da indústria da Comunicação. Com isso, eles têm como meta uma maior conexão entre suas marcas e o consumidor destas.

Uma tarde de otimista, uma noite de celebração

Como foram positivos os resultados da nova estratégia de comunicação do Grupo RBS, o que era uma convenção à tarde, passou também para um evento noturno, ocorrido no Centro de Eventos do BarraShoppingSul, local situado também na capital gaúcha, Porto Alegre. O espaço recebeu uma média de 400 pessoas que foram convidadas para a celebração desse marco na história do Grupo fundado em 31 de agosto de 1957, por Maurício Sirotsky Sobrinho, e que tem sido o líder na área de comunicação em todo o Estado do Rio Grande do Sul, com conteúdo e entretenimento, seja na televisão ou no rádio, no jornal ou nas plataformas digitais

E essa festa teve como atração principal um show especial de Preta Gil, sendo que, antes e depois deste, foram todos para a pista de dança, com destaque para os comunicadores do Grupo RBS, além do seu próprio presidente chairman, Duda Melzer. Quem compareceu à ocasião, como um dos 400 convidados, pôde então presenciar Luciano Costa, Rafael Menegazzo, Leandro Bortholacci e Rodrigo Adams, dentre outros, dançando mais uma vitória deste conglomerado de mídia.

 

As cirurgias de confirmação de gênero estão crescendo nos EUA

Em 2016, mais de 3.200 cirurgias de confirmação de gênero foram realizadas nos EUA, de acordo com o relatório. O número de cirurgias feitas para confirmar a identidade de gênero de uma pessoa, também conhecido como cirurgias de transição de sexo, tem aumentado nos últimos anos, de acordo com o primeiro relatório sobre o tema da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS).

Em 2016, mais de 3.200 cirurgias de confirmação de gênero foram realizadas nos EUA, de acordo com o relatório. Isso é 20% do número de cirurgias realizadas em 2015, o ASPS disse. A organização começou a coletar dados sobre cirurgias de confirmação de gênero em 2015.

As cirurgias de confirmação de gênero incluem qualquer tipo de cirurgia que as pessoas sofram para tornar suas características físicas melhor alinhadas com sua identidade de gênero. Isso poderia incluir cirurgias realizadas para o contorno facial e corporal e cirurgias de reconstrução genital, de acordo com o ASPS.

É importante notar que as etapas que as pessoas podem submeter-se à transição de gênero que alinha com a sua identidade, variam dependendo da pessoa e de acordo com GLAAD. Nem todos os transexuais optam por se submeter à cirurgia como parte de sua transição. (GLAAD é o grupo anteriormente conhecido como Gay and Lesbian Alliance Against Difamation.)

“Não há uma abordagem única para a confirmação de gênero”, disse o Dr. Loren Schechter, um cirurgião plástico com certificação em Chicago, que realiza cirurgias de confirmação de gênero, em um comunicado da ASPS.

O recente aumento das cirurgias pode estar relacionado com um melhor acesso aos cuidados para os transgêneros, disse ele. “Nos últimos anos, o número de pacientes transgêneros que eu vi cresceu exponencialmente”, disse Schechter. “O acesso aos cuidados permitiu que mais pessoas explorassem suas opções e mais médicos compreendessem as necessidades dos pacientes transgêneros”.

Até recentemente, as companhias de seguros privadas viram os tratamentos médicos transgêneros como cosméticos, e especificamente excluídos dos procedimentos médicos de sua cobertura, de acordo com GLAAD. Mas em 2016, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos decidiu que está prática era ilegal, e as companhias de seguros que recebem fundos federais agora são obrigados a cobrir os serviços para pessoas transexuais.

Esses serviços são cobertos por pessoas não transexuais, de acordo com o National Center Para a Igualdade Transgênero. Ainda assim, embora está decisão tenha melhorado o acesso aos cuidados de saúde para as pessoas transexuais, os seguros que não recebem fundos federais ainda podem discriminar e negar os serviços para essas pessoas, de acordo com GLAAD.

“Para as pessoas transgênero, as opções cirúrgicas são um tratamento corretivo, não cosmético”, disse Gearah Goldstein, um paciente de Schechter que foi submetido a uma cirurgia de confirmação de gênero. “Os tipos de cirurgias que alguém tem são muito pessoais e confidenciais, e você nem saberia que alguém teve uma cirurgia se você os viu andando pela rua, não é sobre como somos percebidos pelo público, mas como nos percebemos”, disse Goldstein.

Schechter disse que muitas vezes trabalha com outros médicos para cuidar de pacientes transgêneros. “É preciso uma equipe de especialistas em diferentes disciplinas trabalhando em conjunto para prestar cuidados abrangentes”, disse Schechter.

 

Especialistas agilizam diretrizes para o tratamento da osteoporose nos Estados Unidos

Cerca da metade dos americanos com mais de 50 anos em geral, correm riscos com ossos quebrados devido a osteoporose, uma doença que provoca a diminuição da massa óssea e deterioração do tecido ósseo. No entanto, o número de pacientes tratados para a condição tem vindo a diminuir devido à percepção equivocada de que um tipo de medicação comumente carrega riscos, incluindo fibrilação atrial e dor nas articulações.

Um novo conselho publicado na revista Annals of Internal Medicine, uma atualização do American College of Physicians recomendações de 2008, aconselha fortemente os médicos para tratar as mulheres com osteoporose, aplicando os medicamentos denosumab ou bifosfonatos por cinco anos após o diagnóstico.

A osteoporose, que afeta cerca de 54 milhões de homens e mulheres nos Estados Unidos, leva a um risco aumentado de fragilidade óssea e fratura, especialmente no quadril, coluna e pulso. “As diretrizes anteriores eram muito mais gerais”, disse o Dr. Robert McLean, membro do comitê de diretrizes clínicas do American College of Physicians, que faz parte do conselho como professor associado de medicina da Yale School of Medicine.

O parecer de 2008 estava trabalhando com menos dados sobre as opções de medicação, incluindo a duração do uso, disse ele. A nova consultoria usa dados novos para orientar os médicos a prescrever bisfosfonatos ou denosumab por cinco anos. Bisfosfonatos incluem Fosomax, Reclast e Zometa para citar alguns e denosumab é vendido sob as marcas Prolia e Xgeva.

“Bisfosfonatos são medicamentos que têm sido utilizados por muitos anos e que agem em grande parte na inibição da reabsorção do osso”, escreveu McLean em um e-mail. A reabsorção é a quebra de ossos velhos por osteoclastos, um tipo de célula óssea. Os bisfosfonatos atuam diretamente nos osteoclastos.

“Denosumab também diminui a reabsorção óssea, inibindo a maturação dos osteoclastos através da ligação a um receptor na superfície de pré-osteoclastos células”, disse McLean. Este anticorpo sinteticamente produzido não pode ser tomado por via oral. Ele precisa ser administrado como uma injeção subcutânea, ou apenas abaixo da pele, a cada seis meses, disse ele.

As orientações atualizadas também instruir os médicos sobre o que não fazer. “Existe agora uma recomendação específica contra o uso de terapia de reposição de estrogênio ou raloxifeno (Evista) para o tratamento da osteoporose em mulheres”, disse McLean, que também é um reumatologista.

Os potenciais efeitos colaterais destes tratamentos influenciaram a comissão a favorecer outras opções, que podem proporcionar maiores benefícios com menos riscos.

O comitê também colocou o kibosh em triagens frequentes de pacientes com densidade óssea normal, uma vez que a maioria das medidas não mudaram dentro de 15 anos. “Existe agora uma recomendação mais específica para a tomada de decisão compartilhada com os pacientes na situação específica de mulheres osteopênicas com mais de 65 anos”, disse McLean. A osteopenia descreve uma densidade óssea inferior à normal, que não é tão grave como a osteoporose.

 

2017 começa bem para José Henrique Borghi e a Mullen Lowe Brasil – Cinco novas contas já foram adquiridas pela agência

A Coral, fornecedora de tintas e outros materiais para pinturas residenciais e industriais; a Sparlack e a Hammerite, que atuam no mesmo setor; a Harley Davidson, fabricante e vendedora do ramo motociclístico; e a rede de lojas de departamento Casa e Vídeo são as cinco novas contas que integraram a cartela de clientes da agência de publicidade Mullen Lowe Brasil – antiga Borghi Lowe de José Henrique Borghi – no primeiro trimestre de 2017.

Com a aquisição dos novos clientes o trabalho do departamento de criação da antiga Borghi Lowe não para. Com algumas campanhas já em andamento, o atual co-CEO da agência, José Henrique Borghi – que atua na parte de inovação e criatividade da agência – afirma que esta é uma grande oportunidade para todos os colaboradores da Mullen Lowe Brasil. O executivo destaca ainda que vislumbra futuras parcerias com os novos clientes conquistados.

O também co-CEO da Mullen Lowe Brasil, o publicitário André Gomes – que cuida da parte gerencial da empresa e revela estar ansioso e na expectativa de como ocorrerão os futuros trabalhos com a clientela nova adquirida – por sua vez, acredita que o bom período se refletirá ao longo do ano, construindo uma nova era dentro empresa de propaganda. Ele ressalta que os cinco novos clientes da Mullen Lowe são de preferência dos consumidores – o que significa uma maior incidência em setores novos para a organização.

A Mullen Lowe Brasil

A agência da qual José Henrique Borghi é co-CEO, atualmente, vive uma boa fase no mercado da publicidade. A empresa foi uma das que recebeu avaliação positiva na pesquisa realizada entre os meses de março e setembro de 2016, pela Agency Scope.

Segundo o levantamento, a Mullen Lowe Brasil exerce liderança no mercado, já que dispõe de várias ideias capazes de promover interações com meios variados, tornando o retorno sobre investimentos algo bastante rentável para os clientes. Outro destaque da empresa é a aproximação da diretoria da Mullen Lowe no cotidiano dos consumidores. O estudo da Agency Scope mostra uma forte presença dos gestores da agência de publicidade, com destaque para José Henrique Borghi, quando se trata do alcance das metas dos clientes da companhia.

O publicitário

Graduado em publicidade pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCamp), José Henrique Borghi já esteve entre as 20 mentes criativas mais importantes do Brasil – foi em abril de 2015, quando a revista GQ Brasil publicou uma lista dos 20 publicitários mais influentes do país. Borghi ocupou a 9ª posição do ranking.

O executivo é um dos mais importantes publicitários brasileiros, ele começou a carreira em 1989, na agência Standard Ogilvy, depois passou pelos escritórios da Talent, FCB, DM9 / DDB e Léo Burnett. No currículo possui 14 leões do Festival de Cannes, sete estatuetas do London Festival, 15 premiações da Abril Publicidade, dez prêmios The One Show, 11 prêmios no The New York Festival e, em 2014, o prêmio agência do ano no Festival Brasileiro de Publicidade.